Segundo a Wikipedia, “software deployment” significa:

“todas as atividades necessárias para tornar um software disponível para uso”

Esta lista de atividades pode ser algo simples como enviar um diretório de arquivos para um FTP ou um processo complexo, envolvendo migrações de banco de dados, múltiplos servidores, vários níveis de cache, etc.

Geralmente o processo de deployment automatizado é uma sequencia natural do processo de integração contínua e exitem diversas ferramentas e formas de se automatizar esse processo, tanto gratuitas quanto pagas.

Vamos considerar os dois extremos de complexidade no quesito deploy automatizado.

De um lado o mais simples: um shell script que realiza uma série de comandos Linux (ou outro sistema operacional) para colocar o software em produção.

De outro lado um sistema de deploy ligado a uma ferramenta de integração contínua como o Jenkins, Codeship ou Travis.

Em dois projetos de clientes da Coderockr resolvemos adotar uma solução intermediária: scripts PHP.
imagem-artigo-elton-deploy

Para isso estamos usando o Deployer.

O primeiro passo que fiz foi criar um diretório chamado deploy dentro da estrutura do projeto e dentro dele salvar o deployer.phar.

Também é possível instalar via Composer ou fazer um clone do projeto, mas achei o .phar uma solução mais fácil de se usar.

O próximo passo é criar um arquivo chamado deploy.php que vai conter as atividades necessárias para o projeto.

O exemplo abaixo é baseado no script de um dos projetos:

<?php

//como vamos usar o .pem não é necessário o ssh
set(‘use_ssh2′, false);
$project_path = ‘/var/www/html/project';

/* OBS: Os .pem estão salvos dentro do diretório deploy
e vão para o Git do projeto*/

//servidor de homologação.
server(‘homolog’, ‘homolog.project.com’)
->path(‘/var/www/html/project’)
->user(‘ubuntu’)
->pemFile(‘homolog.pem’);

//servidor de produção
server(‘production’, ‘production.project.com’)
->path(‘/var/www/html/project’)
->user(‘ubuntu’)
->pemFile(‘production.pem’);

//subtaks
task(‘update_git’, function ($input) {
$branch = $input->getOption(‘branch’, get(‘branch’, null));
run(“sudo git pull origin $branch”);
})->option(‘branch’, ‘b’, ‘Escolha a branch para deploy’, ‘master’)
->desc(‘Atualiza os códigos no servidor’);

task(‘run_fixtures’, function ($input) use ($project_path) {
cd($project_path . ‘/Backend’);
run(“sudo php fixtures.php”);
})->option(‘branch’, ‘b’, ‘Escolha a branch para deploy’, ‘master’)
->desc(‘Roda as fixtures’);

task(‘run_frontend_scripts’, function ($input) use ($project_path) {
cd($project_path . ‘/Frontend’);
run(“sudo rm -rf ../Backend/public/app”);
run(“sudo bower cache clean –allow-root”);
run(“sudo bower install –force –allow-root”);
run(“sudo grunt –force”);
})->option(‘branch’, ‘b’, ‘Escolha a branch para deploy’, ‘master’)
->desc(‘Roda os scripts de frontend’);

task(‘fix_permissions’, function ($input) {
run(“sudo chown -R www-data:www-data /tmp/__CG__*”);
})->option(‘branch’, ‘b’, ‘Escolha a branch para deploy’, ‘master’)
->desc(‘Concerta as permissões’);

//tasks principais
task(‘run’, array(
‘update_git’,
‘run_fixtures’,
‘run_frontend_scripts’,
‘fix_permissions’
))->option(‘branch’, ‘b’, ‘Escolha a branch para deploy’, ‘master’)
->desc(‘Deploy para servidor’);

Podemos verificar se está tudo funcionando rodando o comando que vai listar as opções de deploy:

cd deploy
php deployer.phar list

E você deve ver algo parecido com isso:

Deployer version 2.0.2

Usage:
[options] command [arguments]

Options:
–help (-h)           Display this help message
–quiet (-q)          Do not output any message
–verbose (-v|vv|vvv) Increase the verbosity of messages: 1 for normal output, 2 for more verbose output and 3 for debug
–version (-V)        Display this application version
–ansi                Force ANSI output
–no-ansi             Disable ANSI output
–no-interaction (-n) Do not ask any interactive question

Available commands:
fix_permissions        Concerta as permissões
help                   Displays help for a command
run                    Deploy para servidor
list                   Lists commands
run_fixtures           Roda as fixtures
run_frontend_scripts   Roda os scripts de frontend
self-update            Updates deployer.phar to the latest version
update_git             Atualiza os códigos no servidor

Para executar o deploy basta usar o comando:

php deployer.phar run –server=homolog -vvv

Com o –server=homolog estamos indicando qual o servidor a ser usado e com o -vvv estamos solicitando que os passos sejam mostrados detalhadamente na tela.

No comando acima é usada a branch master para os comandos do Git, mas podemos indicar outra com o parâmetro programado no script:

php deployer.phar run -b fix_errors –server=homolog -vvv

Sendo fix_errors um exemplo de nome de branch.

Da mesma forma podemos usar o comando para enviar os dados para nosso servidor de produção:

php deployer.phar run –server=production -vvv

Como o deploy.php é um script PHP as possibilidades são enormes. Podemos usar variáveis de ambiente, componentes de frameworks, realizar consultas a bancos de dados, usar a SDK da Amazon para criar novas máquinas e realizar o deploy para elas, etc.

Como comentei no começo do post, existem diversas outras formas de realizarmos esse processo, mas o Deployer me impressionou pela sua facilidade de uso e versatilidade.

elton
Elton Luís Minetto
No Code Squad, ministra os seguintes treinamentos: http://code-squad.com/perfil/eminetto#cursos-ministrados
Possui graduação e especialização em Ciência de Computação. Trabalha com PHP/MySQL desde 2000, com Linux desde 1997 e com MacOSX desde 2007. Também é autor do livro Frameworks para Desenvolvimento em PHP e co-autor do livro Grid Computing in Research and Education. É professor e co-fundador da Coderockr e Zend Framework Evangelist

Fonte da Imagem: Flickr.com by Kevin®

Twitter